Atividades buscam promover suporte à saúde mental das pessoas em meio à pandemia pela Covid-19

Nos dias 27, 28 e 29 de janeiro, foi realizada, no Hospital Regional em Paraíso do Tocantins, ação em função do Janeiro Branco, mês dedicado aos cuidados com a Saúde Mental . Entre as atividades, conscientização dos cuidados emocionais e psicológicos e da importância dos cuidados com a saúde mental da sociedade, que tem sido afetada em todo o mundo, por conta da pandemia decorrente da Covid-19.

A ação foi realizada através de palestras e visitas a todos os setores do hospital, onde foi entregue aos servidores um kit, nomeado “Janeiro Branco – Todo cuidado conta”, além de ter sido realizado apontamentos práticos para prevenção em saúde mental, orientações de manejo de aspectos psicoemocionais, durante e pós-contexto pandêmico, bem como, aproximação e fortalecimento de vínculos entre o setor de psicologia e os setores variados do hospital.

 “Esta ação, que é alusiva ao Mês da Saúde mental, mas é projetada e pontuada de ações durante todo o ano, foi organizada e apoiada pela direção do Hospital Regional de Paraíso do Tocantins em parceria com o Setor de Psicologia e Supervisora Multiprofissional”, pontuou a diretora geral do Hospital Regional de Paraíso, Leiliani Alves.

De acordo com levantamentos feitos pela Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil é o segundo país das Américas com maior número de pessoas depressivas, aproximadamente 5,8% da população, ficando atrás apenas dos Estados Unidos, com 5,9%. A depressão é uma doença que afeta 4,4% da população mundial e o Brasil é ainda o país com maior prevalência de ansiedade no mundo.

Para Leiliani, “essa mobilização referente às ações do Janeiro Branco, é importante e positiva, para que nós enquanto representantes de uma instituição que trabalha e luta na linha de frente ao enfrentamento à Covid-19, possamos ser mais sensíveis, mais humanos, pois nesse período muitas situações se agravaram e isso é muito preocupante. Então a gente tenta implantar várias maneiras para que possamos alcançar o máximo de pessoas que passam por estes tipos de dificuldades psicológicas, para que consigamos acolher e resolver os problemas destes profissionais, e tão logo, ofertar a sociedade e ao corpo de servidores, o melhor dos atendimentos, enquanto unidade prestadora de serviços de saúde à população tocantinense.”, afirmou.

Por: George Gomes/Governo do Tocantins


Compartilhar:

Deixe seus Comentario